Download E-books Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban (Harry Potter, Book 3) PDF

By J. K. Rowling

Reliable Brazilian Portuguese model from Pottermore.

Note: within the unique ebooks from Pottermore, there's a preview of the 1st bankruptcy of the subsequent e-book (ie on the finish of the Philosopher's Stone, they comprise the 1st bankruptcy of the Chamber of Secrets), yet this is often lacking from this add. not likely an important deal though.

As aulas estão de volta a Hogwarts e Harry Potter não vê a hora de embarcar no Expresso a vapor que o levará de volta à escola de bruxaria. Mais uma vez suas férias na rua dos Alfeneiros, four, foi triste e solitária. Tio Válter Dursley estava especialmente irritado com ele, porque seu amigo Rony Weasley tinha lhe telefonado. E ele não aceitava qualquer ligação de Harry com o mundo dos mágicos dentro de sua casa. A situação piorou ainda mais com a chegada de tia Guida, irmã de Válter. Harry já estava acostumado a ser humilhado pelos Dursley, mas quando tia Guida passou a ofender os pais de Harry, mortos pelo bruxo Voldemort, ele não agüentou e transformou-a num imenso balão. Irritado, fugiu da casa dos tios, indo se abrigar no Beco Diagonal.

Lá ele reencontra Rony e Hermione, seus melhores amigos em Hogwarts e, para sua surpresa, é procurado pelo próprio Ministro da Magia. Sem que Harry saiba, o ministro está preocupado com o garoto, pois fugiu da prisão de Azkaban o perigoso bruxo Sirius Black, que teria assassinado treze pessoas com um único feitiço e traído os pais de Harry, entregando-os a Voldemort. Sob specialty escolta, o garoto é levado para Hogwarts...

Show description

Read or Download Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban (Harry Potter, Book 3) PDF

Best Magic books

Angel's Ink: The Asylum Tales

“A lot of enjoyable, with an entire new tackle the darkish city delusion. vibrant and breezy, with interesting characters, and a heritage with hidden depths. Drake places the ink in really good. ”—Simon R. Green“Angel’s Ink is an other-earthly mixture of magic and expertise within the most sensible culture of city fable that refused to allow me move.

The Hero and the Crown

A Newbery Medal WinnerAlthough she is the daughter of Damar's king, Aerin hasn't ever been approved as complete royalty. either out and in of the royal courtroom, humans whisper the tale of her mom, the witchwoman, who used to be acknowledged to have enspelled the king into marrying her to get an inheritor to rule Damar-then died of melancholy while she stumbled on she had borne a daughter rather than a son.

The Thinking Woman's Guide to Real Magic: A Novel

“If Hermione Granger have been an American who by no means obtained a call for participation to Hogwarts, this would were her tale. ” —PeopleEarning comparisons to wildly renowned myth novels by way of Deborah Harkness and Lev Grossman, Emily Croy Barker’s enthralling debut deals an clever get away right into a richly imagined global.

King of the Murgos (The Malloreon, Book 2)

Guided through the Orb of the God Aldur, Garion and Ce'Nedrea start a very good quest to rescue their abducted baby. Making their means in the course of the foul swamps of Nyisssa, then into the lands of the Murgos, they have to eventually face a terrible danger--to themselves and all mankind. .. .

Extra info for Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban (Harry Potter, Book 3)

Show sample text content

O ? mesmo, Ernesto? N? o sei como foi que ele fez isso. ? de apavorar, hein? E olha s? , n? o acho que ele tivesse muita likelihood contra aqueles guardas de Azkaban, hein, Ernesto? Ernesto sentiu um arrepio repentino. ? Vamos mudar de assunto, Lalau. Esses guardas de Azkaban me d? o at? dor de barriga. Lalau largou o jornal com relut? ncia e Harry se encostou na janela do N? itibus, sentindo-se pior que nunca. N? o podia deixar de imaginar o que Lalau iria contar aos passageiros nas pr? ximas noites... ? Voc? soube o que aconteceu com aquele Harry Potter? Mandou a tia pelos ares! Ele viajou aqui no N? itibus com a gente, n? o foi mesmo, Ernesto? Estava tentando se mandar...? Ele, Harry Potter, tinha infringido as leis dos bruxos igualzinho ao Sirius Black. Fazer tia Guida virar bal? o seria suficiente para ir parar em Azkaban? Harry n? o sabia nada sobre a pris? o dos bruxos, embora todo mundo que ele j? ouvira falar daquele lugar o fizesse no mesmo tom de medo. Hagrid, o guarda-ca? a de Hogwarts, passara dois meses l? ainda no ano passado. Harry jamais esqueceria a exhibit? o de terror no rosto do amigo quando lhe disseram aonde ia, e Hagrid period uma das pessoas mais corajosas que Harry conhecia. O N? itibus corria pela escurid? o, espalhando para todo o lado moitas de plantas, latas de lixo, cabines telef? nicas e ? rvores, e Harry continuava deitado, inquieto e infeliz, em sua cama de penas. Passado algum pace, Lalau se lembrou de que Harry pagara pelo chocolate quente, mas derramou-o no travesseiro do garoto quando o ? nibus passou bruscamente de Anglesea para Aberdeen. Um a um, bruxos e bruxas de roupa de dormir e chinelos desceram dos andares superiores e desembarcaram do ? nibus. Todos pareciam satisfeitos de descer. Finalmente, Harry foi o ? nico passageiro que restou. ? Muito bem, ent? o, Neville ? disse Lalau, batendo palmas ? , em que lugar de Londres voc? vai ficar? ? No Beco Diagonal ? respondeu Harry. ? ? pra j?. Segura firme a?... BANGUE. E na mesma hora o N? itibus estava correndo pela rua Charing pass como uma trovoada. Harry se sentou e ficou observando os edif? cios e bancos se espremerem para sair do caminho do ve? culo. O c? u estava um pouquinho mais claro. Ele tentaria passar despercebido por umas duas horas, iria ao Gringotes no instante em que o banco abrisse, depois iria embora ? para onde, ele n? o sabia muito bem. Ernesto fincou o p? no freio e o N? itibus parou derrapando diante de um bar pequeno e de apar? ncia malcuidada, o Caldeir? o Furado, nos fundos do qual havia a porta m? gica para o Beco Diagonal. ? Obrigado ? disse Harry a Ernesto. Ele desceu os degraus com um pulo e ajudou Lalau a descer o mal? o e a gaiola de Edwiges para a cal? ada. ? Bem ? disse Harry. ? Ent? o, tchau! Mas Lalau n? o estava prestando aten?? o. Ainda parado ? porta do ? nibus, arregalava os olhos para a entrada sombria do Caldeir? o Furado. ? Ah, a? est? voc? , Harry ? exclamou uma voz. Antes que Harry pudesse se virar, sentiu uma m? o segur? -lo pelo ombro. Ao mesmo pace, Lalau gritou: ? Caramba! Ernesto, corre aqui! Corre aqui! Harry ergueu a cabe? a para o dono da m?

Rated 4.80 of 5 – based on 39 votes

About the Author

admin